Matéria do dia

Rogério Alves: Vamos salvar o Brasil sem buscar salvadores

Por Rogério Alves Advogado O governo Temer representa o fim (ou a continuidade) do grupo corrupto que governa o Brasil desde 2008 e é preci...

Publicidade

BACABAL: Se baseando em suposições Roberto Costa, candidato a prefeito derrotado, continua tentando inviabilizar a administração Zé Vieira com denúncias sem provas

Do Blog do Sérgio Mathias


Nos últimos tempos, mais do que nunca, a classe política brasileira está sem credibilidade perante a população que assiste diariamente um escândalo atrás do outro sendo descoberto e levando para a cadeia figurões. São políticos influentes e empresários, alguns bilionários que jamais imaginaram serem alcançados pelas mãos da justiça.

No meio de tudo isso também há os que se aproveitam da crise moral que se abateu sobre a nação para tirar proveitos políticos e tentar macular desafetos e outras autoridades. Trazendo para as questões políticas locais, podemos citar como um bom exemplo o deputado estadual Roberto Costa (PMDB), candidato derrotado na última eleição para prefeito de Bacabal.

Desde que sofreu esse revés, Roberto tem insistido em não aceitar o resultado das urnas. Sendo parlamentar, seria natural que cobrasse ações públicas voltadas para o bem comum da população e, também, destinasse emendas que contribuíssem para esses benefícios, mas nada isso tem sido feito.

Roberto Costa tem preferido adotar a via dos ataques pessoais e das ofensas, seja da tribuna da Assembleia Legislativa ou através da emissora de TV que comanda em Bacabal. Nos dois casos ele tem feito fortes acusações contra a administração pública municipal e aos seus principais integrantes, nenhuma delas comprovada.

Além do prefeito Zé Vieira (PP), seus principais alvos têm sido a primeira-dama Patrícia Vieira, o vice-prefeito Florêncio Neto (PHS) e secretários.

O mais recente ataque ocorreu nesta quarta-feira (12), quando, da tribuna da Assembleia Legislativa, ele denunciou - sem mostrar absolutamente nenhuma prova, baseando-se só em suposições - haver irregularidades na administração municipal. O deputado se referiu à licitação feita, no entendimento dele, para a aquisição de 60 carros, quando na verdade não é nisso.

Os documentos abaixo comprovam que foi firmado contrato de aluguel de apenas 8 picapes para servir parte da secretarias municipais, já que a frota própria da Prefeitura de Bacabal se resume a mesma quantidade de veículos, portanto,são apenas 16 para suprir a enorme demanda de toda a administração, ou seja, longe do número exorbitante que Roberto Costa citou em sua denúncia, que seriam 60 veículos.

Outra atitude de má-fé feita com estardalhaço pelo deputado foi quanto ao valor do aluguel de cada veículo, pois, enquanto outros municípios maranhenses que firmaram contrato semelhante desembolsam, em média, R$ 11.400,00 (onze mil e quatrocentos reais), Bacabal paga valor abaixo do preço de mercado.



Mesmo parecendo que essa incoerência do deputado foi proposital e com o intuito de confundir a cabeça da opinião pública, técnicos do setor contábil do município preferem acreditar se tratar de uma gafe pelo fato do parlamentar não conhecer como funciona o sistema. Um contabilista ouvido pelo blog, chegou ao seguinte entendimento: “O nobre deputado ou alguém que lhe assessora deve ter se confundido ao somar o número real de veículos, que são 8, com a previsão dos valores que serão pagos durante os 11 meses da vigência do contrato. Pois não quero crer que Roberto [Costa] tenha tamanha malícia para querer confundir as pessoas”, ponderou.

O comentário do contabilista acima condiz com a coerência do título da postagem sobre o caso publicada no site oficial da Assembleia Legislativa do Maranhão. Nele, a jornalista que assina o texto, Nice Moraes, da Agência Assembleia, escreveu: “Roberto Costa denuncia supostos desmandos na Prefeitura Municipal de Bacabal”, numa clara demonstração que ninguém está levando muito a sério a “dor de cotovelo” do candidato derrotado.